Ano Novo

31 12 2012

Ano Novo

Feliz Ano Novo
(a la Maiakoviski e Noel Rosa)
Eu desejo a todos os meus amigos sonhos felizes
E a todos os descrentes de sonhos e igualdade
Que posso eu lhes desejar?
Espero que um dia possam também sonhar felizes
E que juntos – amigos, descrentes e desconhecidos –
Construamos este novo mundo novo
Aonde palavras como “fome”, “miséria”, “exploração” e “guerra”
Sejam fósseis tão incompreensíveis a nova geração
Como foram incompreensíveis os fósseis de dinossauros aos nossos avós
Aonde a palavra socialismo seja somente a realidade
Tão simples e natural
Como nos é hoje a palavra diferença
Um mundo aonde o amor seja tão natural
Como respirar hoje nos é natural





Divagações nada bucólicas

8 03 2012

Queria divagar sobre pastos, campos e aves

mas estou longe de pastos, campos e aves

meu horizonte são prédios cinzentos

janelas escuras, algumas até iluminadas

Quando desço a rua, asfalto

e o máximo de vida que vejo são pombos

pombos

e pessoas correndo apressadas suas vidas vazias

ou talvez cheias

cheias de carros, cheias de alcool, cheias de tanta chateação da vida moderna

Eu estou cheio de vida e pulsa em mim o querer diferente

na praia, parado, me sinto deslocado em meios a corpos torrando no sol

na praia, a noite, andando, me sinto deslocado

estou deslocado

desfocado

deslizo

lizo

ligo meu rádio e não ouço nada

ligo a TV e passam velhos filmes que não me dizem nada

rio

rio de janeiro que eu gosto

rio

sem janeiro

 








%d blogueiros gostam disto: